Carreira X Felicidade tem sido um assunto extremamente explorado. Absolutamente tudo que diz respeito à carreira e trabalho hoje em dia ganhou, de alguns anos para cá, uma característica extremamente dinâmica, fluída, incerta, porém, também tem estado mais humano, mais flexível (em alguns mercados mais do que outros…), mais inclusivo e eu diria até mais “leve” (ainda entre aspas, pois há muito para mudar no contexto trabalhista em geral, mas temos muitas iniciativas incríveis e maravilhosas ocorrendo).

Por que digo tudo isso? Porque os cenários estão bem incertos não somente devido às mudanças na economia, na política, nas crises financeiras, mas também, e justamente por tudo isso estar ocorrendo, desde o início dos anos 2010 é que paramos para analisar, buscar modificar e transformar o que “não estava mais dando certo” nem “indo bem” para que nós mesmos, seres humanos produtivos que movem a sociedade pudéssemos nos desenvolver, nos sentirmos acolhidos, com visão de futuro e muito mais…como por exemplo:

1- Ter espaço para nossos filhos no ambiente de trabalho;

2- Ter conforto, até mesmo na hora de nos vestirmos para ir trabalhar;

3- Estar aquelas 8 horas por dia num ambiente muito mais carismático e aconchegante;

4- Ter sua saúde mental/emocional igualmente atendida e considerada como a física…enfim…

carreira feliz

E por aí vai…! Vocês já devem saber do que estou falando: da grande mudança que muitas empresas estão adotando ou adotaram de poucos anos para cá de modificar o ambiente, os benefícios e os programas de carreira etc para oferecer aos colaboradores cada vez mais motivos para desejarem permanecer ali, evoluir ali, além de atrair, cada dia mais, novos talentos.

Tudo isso vem ocorrendo pela grande ameaça que vínhamos sofrendo à nossa saúde mental e emocional que ressentiu bastante aos modelos empregados de pressão, competitividade entre outros fatores que são sintomáticos da era ágil que vivemos, porém, como dizemos no mundo corporativo: estamos “em melhoria contínua”. Afinal nenhuma dessas evoluções no mundo profissional poderia ocorrer tão fácil e rapidamente, tão “plug and play”, nem mesmo em todos os tipos de negócio!

Indústrias terão um desafio muito maior, tendo em vista o baixo grau de conforto enfrentado por profissionais operacionais (chão de fábrica), de linha de produção etc, setor este que não teve (nem terá tão já) tanta condição de evoluir, como em outras áreas de negócio que são menos exigentes quanto a seus ambientes e processos.

Incluo aqui minha percepção (e vivência) nesse desafio enfrentado pelas indústrias: para melhorar na retenção de seus profissionais, diversos programas envolvendo segurança, enquadramento salarial, mérito, programas de certificação e de capacitação, além da grande variedade de benefícios para empregados celetistas e eventos que e empresa proporciona, são os atrativos mais comuns. Dependendo do quê o profissional dá mais importância, uma empresa se torna mais atraente que outra bem facilmente, afetando o índice de Turnover das mesmas. Isso por si só representa muita evolução, mas o ambiente e as atividades seguem engessadas e pouco flexíveis, dependendo bastante da ciência e tecnologia para poder inovar.

Para seguirmos nesse cenário incerto, porém que traz uma sensação de esperança no futuro, precisamos nos desenvolver em 3 grandes pilares, que nortearão nossa performance e nossos resultados onde quer que trabalhemos e independente da atividade exercida (isso inclui empreendedores também):

1- AUTOCONHECIMENTO:

2- RESILIÊNCIA

3- AUTOLIDERANÇA

AUTOCONHECIMENTO:

Quando não nos conhecemos o suficiente, é muito fácil pender para a área ou o negócio que “achamos” ou sentimos ser o “melhor para nós”, porém, baseados nas opiniões alheias, seja da mídia, da sua família, dos seus amigos, etc. A tendência é sempre se tornar a média dos que você convive mais, pois há uma necessidade emocional em todo ser humano de pertencimento, de sentir que sua autoestima está boa, sua condição compete com seus semelhantes. Todavia, tal escolha profissional nem sempre está alinhada com seus verdadeiros talentos. E então, vem o sofrimento que você não sabe nomear, as crises de pânico, a depressão, a Síndrome de Burnout, doenças físicas (dores, alergias, “ites”) entre outras, que são resultantes da insistência de uma pessoa por trabalhar num local ou negócio acreditando que ali que deve ficar, que nesse local será satisfeito(a), feliz e ser reconhecido(a) como merece.

PORTANTO: Conheça-se o bastante e tenha a coragem de migrar, de passar pela transição que for necessária para que você possa oferecer ao mundo e a si mesmo aquilo que faz de melhor, o que você verdadeiramente nasceu para fazer. E isso pode ser qualquer coisa: desde realmente fazer parte de um time dentro de uma empresa, até trocar totalmente de área e descobrir que sua performance é infinitamente melhor e te traz mais sensação de realização em ser empreendedor por exemplo, ou consultor, palestrante etc.

RESILIÊNCIA:

Partindo do ponto de que você já se conhece bastante, você saberá quais são suas forças e suas fraquezas (tendo plena consciência de que ter fraquezas faz parte da raça humana), e poderá entender mais rapidamente onde e como você irá prosperar, com autoconfiança e segurança, e, consequentemente, qual cenário ou contexto trabalhista não fará mais parte de sua evolução. Conforme falado no início desse artigo, o mercado de trabalho está em contante evolução, toda empresa ou negócio está sensível a mudanças, alterando de tempos em tempos seus escopos de tarefas, seus sistemas, suas metodologias.

PORTANTO: se você não souber como se adaptar à tudo isso de maneira otimista, positiva e agregando ainda mais conhecimento para si, o prejuízo será inevitável…Seja para sua saúde, para seu propósito, nas suas relações etc.

AUTOLIDERENÇA:

A liderança está cada vez mais envolvida nos processos e projetos das corporações do que propriamente na condução de perto de suas equipes, servindo apenas como referência, como modelo no que diz respeito à postura, aos valores e resultados que traz para a mesma. E isso gera bastante necessidade de autonomia, independência, capacidade de tomar decisões, de se organizar com as prioridades, ser proativo(a) e identificar pontos de melhoria por parte das equipes, por estarem mais envolvidos nas atividades diárias do que a liderança, exigindo um dinamismo, aprendizado rápido e ampliação de competências comportamentais que transpareçam sua produtividade.

PORTANTO: Se você não souber dizer ‘não’ quando precisa priorizar outras demandas, não souber se relacionar com diferentes níveis e áreas (desde o porteiro até o diretor), utilizando linguagens distintas para que todos te compreendam e se sintam corretamente envolvidos, não souber ser resiliente quando a situação aperta, quando uma tarefa não depende só de você para ser entregue, ou quando um assunto importante fica “no ar”, no ‘limbo’ sem uma solução, você muito provavelmente desenvolverá ansiedade, frustração, alto grau de angústia, stress, podendo sentir ressentimento com pessoas e tarefas nas quais você se empenhou na resolução e, mais uma vez, isso pode resultar em transtornos de ansiedade, depressão, de sono, além das doenças físicas por conta do stress diminuir sua imunidade e as defesas de seu corpo.

Calma, não é necessário ser um “super-homem” nem uma “mulher-maravilha” para conseguir se desenvolver nesses 3 grandes pilares, mas é necessário se conhecer o bastante para identificar o que você faz de melhor e te traz felicidade, vontade de viver para realizar ‘aquilo’. A partir daí, ao aceitar-se como é, no seu ritmo, do seu jeito, com suas habilidades, ficará mais natural e fluído recusar certas propostas, se envolver naquilo que traz REALIZAÇÃO, entendendo que, onde quer que você esteja, o mundo irá te exigir resiliência e autoliderança.

Espero que esse artigo tenha lhe feito pensar saudavelmente em sua carreira, em sua saúde emocional e física, pois tudo está junto, e se algo não vai bem, por mais que tentemos a todo custo nos fazer acreditar e passar aos outros que estamos ‘ótimos’, uma hora o castelo de cartas cai, a saúde desaba, por isso a grande necessidade de despertar para poder viver melhor e mais integramente com sua missão, seu propósito.

Inquiete-se, não se acomode, busque ajuda profissional, pois sempre é tempo. Em minha mentoria “Carreira de Sucesso” são esses pilares que trabalho para que você ganhe motivação, ânimo, força de vontade para superar o que for preciso e começar a se aceitar e enfrentar a realidade que mais te trouxer harmonia e sentido. Tire suas dúvidas, fale comigo! Lá em cima na aba contatos tem meu celular, nosso e-mail. Faça valer a pena seu tempo aqui neste planeta! 😉

Grande abraço!