Estamos constantemente brigando com a gente mesmo a respeito do que precisamos ou devemos fazer. Nos cobrando pra fazer o melhor por nosso trabalho, nossa saúde, nossa família etc etc. Isso acaba nos levando para um “lugar ruim”, onde, em boa parte das vezes, nos sentimos apenas incompletos e que ainda não estamos “dando conta do recado” bem o suficiente ou como gostaríamos.

Para tanto, quero convidá-lo(a) a dar uma “voltinha” pelas coisas boas, simples e (extremamente) necessárias que podem estar sendo perdidas, dia após dia, literalmente sendo afogadas pelas suas obrigações e pelo stress que envolve TUDO isso que estamos vivendo nesse momento tremendamente complexo para a humanidade!

Vem comigo! Espero que depois desse passeio pelo lado das coisas boas e simples, você possa, sempre que quiser ou precisar, voltar mais à esse local! E que ele possa fazer parte de todos os seus dias! 😉

Vamos começar o “tour” pelo dom da apreciação, que todos nós temos, porém, acabamos cedendo espaço em nosso cérebro, mente e tempo para o que se torna automático, como rotinas de trabalho, de casa e a imersão nas redes sociais. O que mais é possível então? Veja por você mesmo(a):

1º Hábito: Apreciação:

Estar por aqui vivendo tudo isso pode não ser agradável nem fácil, contudo, essa realidade, definitivamente, não precisa tirar sua oportunidade dos infinitos e pequenos aprendizados e milagres do dia a dia. Como assim? (você pode me perguntar!)

Quando aprendemos a apreciar os mais diversos e pequenos (ou grandes) detalhes, somos capazes de ver beleza em qualquer sorriso, nas cores da natureza, no sabor de cada comida, num gole de água quando estamos com sede, no som de uma canção que gostamos muito, nos deixa alegres, num abraço acolhedor, ao sentir a água quentinha caindo no banho e levando toda sujeira e suor embora, ao rir de algo bobo, quando estamos junto aos nossos animais de estimação que nos amam sem medida, ou apenas observando os pássaros voando e muito mais.

Pare e dedique tempo a apreciar cada uma dessas sensações, pois uma grande parte dos seres humanos nesse momento não tem abrigo, não tem família, nem comida ou trabalho, nem carinho, muitas vezes nem mesmo saúde. E todas essas grandes bençãos, nos levam ao segundo hábito!

2º Hábito: Gratidão:

Tudo que foi dito acima está diretamente ligado ao sentimento de gratidão. Gratidão não é só dizer obrigada, não é apenas valorizar as coisas do dia a dia. Ser grato(a) é entender que é um privilégio estar vivo, é um milagre que, em mais uma manhã, Deus, o Universo, Buda, a Natureza (ou seja lá em quê você quer acreditar), lhe permitiu abrir os olhos mais uma vez, respirar e levantar-se para fazer mais um dia valer a pena em sua vida. O fato de ter saúde, ter pessoas que se gosta e que gostam de você por perto, ter uma atividade que se goste de fazer (seja de trabalho, lazer, de casa etc), poder aprender coisas novas, ter os seis sentidos funcionando (sim, o sexto sentido – intuição – é primordial aqui!), ou seja, o fato de poder estar por aqui fazendo algo por si e pelos demais, já é motivo de imensa e profunda gratidão, se você pensar bem! Momentos ganham a tonalidade que você quiser, especialmente quando conectados ao que você está sentindo. Sabemos que isso pode representar um pesadelo ou um sonho, mas todos esse momentos são pequenos e ínfimos “tijolos” de uma mesma construção: a sua vida, sua existência e, para os que acreditam: dessa encarnação. Portanto pense: O que você gostaria de fazer ou aprender que ainda não fez? O que você ama fazer e que, além de te fazer bem, faz bem também aos que estão a sua volta? Você tem praticado isso com qual frequência? Deixarei uma dica pra que você possa se aprofundar nesse tema de autoconhecimento e gratidão:
Assista aos vídeos da Taci Carvalho no Youtube (altamente recomendados) para descobrir estas e muitas outras respostas!

Bônus: Link de um vídeo dela: Nosso maior propósito e nossas  missões! (conteúdo inicia em 7min:30seg).

3º Hábito: Hobbies saudáveis:

Se você permitir, aquilo que é obrigação (o óbvio do dia a dia), vai ocupar suas 24 horas, ou seja, dormir, ir ao banheiro, higienizar-se, comer, beber, trabalhar, cuidar da casa, compras, exercício físico, trânsito, filhos e redes sociais/tempo na internet (que nem sempre é pra relaxar…na maior parte das vezes é consumo de informação e isso só cansa seu cérebro!). Talvez você se pergunte por que coloquei a palavra “saudáveis” no título desse hábito. Eu explico: Porque algumas pessoas pensam que vícios podem ser bons hobbies. E isso precisava ser esclarecido, pois, se drogar ou usar o álcool dentre outros vícios (como compras, jogos, ficar inúmeras horas nas redes sociais, açúcar, trabalho etc) como desculpa pra dizer que se trata de um “hobbie”, é extremamente prejudicial!

Na realidade tudo pode se tornar um vício se você não souber ponderar. Contudo, hobbies construtivos, além de excelentes formas de passar o tempo, também trazem boas sensações, novos aprendizados, ótimas memórias, motivos para sorrir e celebrar, relaxamento, descanso para a mente consciente, principal objetivo dos hobbies (além de fazer algo prazeroso), e não prejudicar a saúde ou cansar ainda mais a mente, que geralmente já está abarrotada de conteúdo (decisões, sentimentos, pensamentos etc). Você pode gostar de filmes e séries, de artesanato, de leitura, de cursos online, de quebra-cabeças, jogos, desenhos, fotografar, fazer vídeos…ou, de simplesmente ficar sem FAZER NADA! Sim, por que não?! Descansar a mente e esvaziá-la (como em uma meditação, por exemplo) é tão difícil, que, quando você começa a conseguir desligar-se de certos pensamentos e sensações, se torna algo mágico! Os benefícios da meditação já foram, há um bom tempo, comprovadas pelas ciências médicas. E tem diversas formas de fazer, inclusive muitas são guiadas estão disponíveis gratuitamente no youtube, é só buscar e você achará diversas! Recomendo que comece pelas meditações da Louise Hay. Será transformador! Pode acreditar!

2º bônus: Relaxamento pra conseguir dormir da Louise Hay 

Entenda a real intenção por aqui:

A proposta não é tentar obrigar ninguém a se atentar apenas ao “labo bom” das coisas, nem se concentrar na metade do copo cheio para sempre! Ao invés de propor esse embate e conflito entre bom e ruim, minha intenção é apenas de juntar os pedaços: abra espaço para esses bons hábitos enquanto enfrenta a quarentena e as más notícias. Suporte o mal com o bem. Liberte às tensões das cobranças e energia pesada de rotina com esses hábitos saudáveis e agradáveis, buscando o que se encaixa melhor pra você! Encontre sua receita de bem-estar e qualidade de vida! Nem sempre ela é a mesma para todos e você tem o direito de encontrar sua maneira de ter leveza, de ter mais alegria, paz e felicidade, mesmo nos dias mais difíceis! Torço para que você encontre logo! 🙂

Continue se cuidando, se protegendo e ficando em casa, sempre que puder!

Isso tudo também vai passar!

Grande abraço!