Hoje em dia, é difícil quem não esteja conectado a pelo menos uma rede social. Por lazer ou trabalho, boa parte dos brasileiros acessa Facebook, Instagram, WhatsApp, Snapchat, YouTube ou Twitter diariamente. Somos líderes em tempo gasto nas redes sociais, com a média 60% maior do que a do resto do planeta, de acordo com a pesquisa “Futuro Digital em Foco Brasil 2015”.

Por ser um fenômeno relativamente novo, muitos cientistas se debruçaram sobre o tema para entender como o uso de redes sociais impacta nossas vidas, e o resultado desses estudos não é nada otimista. Passar muito tempo conectado pode trazer problemas como distúrbio do sono, arritmia, ansiedade e depressão, de acordo com um estudo feito pela Royal Society for Public Health, do Reino Unido.

O problema é especialmente preocupante entre jovens de 14 a 24 anos de idade, pois 90% desse grupo usam redes sociais e estão mais vulneráveis aos efeitos colaterais do uso em excesso. Nos últimos 25 anos, as taxas de ansiedade e depressão nessa parcela da população aumentaram 70%.

Se interessou pelo assunto? Ouça nosso Podcast para saber mais!

Feedback: contato@bemvivermais.com