Você já sentiu como se não lhe sobrasse tempo para nada? Você vive sempre ocupado, apressado, pensando no que está por vir ou no que está ocorrendo onde você não está? E, quanto mais você tenta acompanhar tudo isso, e vacila entre ficar sem fazer nada ou tentar fazer tudo, mais frustrado se sente. Fique tranquilo, você não é o único.

Vivemos atualmente em uma era onde temos “fome de tempo”. “Na nossa sociedade moderna, o tempo é um recurso precioso e um inimigo implícito que deve ser subjugado. Mas isso nem sempre foi assim. Em outros momentos da história, o tempo era abundante. Então, o que mudou? Como o tempo se voltou contra nós?.

Uma coisa é certa, não podemos apenas culpar as novas tecnologias pela nossa suposta falta de tempo – já que há muitas ferramentas e máquinas que nos ajudam nas tarefas do dia a dia.

A razão para essa era de “fome de tempo” em que vivemos é histórica. Antes da industrialização, os trabalhadores eram mais livres para trabalhar de acordo com seus ritmos naturais ou sazonais. Com a chegada da indústria, foram submetidos a ‘demandas brutais’ de tempo, precisaram ser ‘encaixados’ em padrões específicos e cumprir as expectativas de seus patrões. Passaram a trabalhar, talvez, em nome da lucratividade dos outros. Também criou-se nas pessoas uma mentalidade de prosperidade, porque prosperar era, afinal, ter dinheiro e a oportunidade de ter “tempo livre”.

Os trabalhadores da nossa sociedade atual herdaram essa mesma ‘disciplina’ pós-industrialização. Embora agora, de forma digital. As tecnologias nos ajudaram a economizar tempo e a prosperar – ao invés de nos tornarem mais pobres – e por isso deveriam nos fazer sentir como se o tempo estivesse do nosso lado. Mas não é isso o que acontece. A razão? Podemos citar o conceito de “aceleração social” do sociólogo Harmut Rosa para explicar. “A introdução de novas tecnologias (como máquina a vapor, ferrovia, automóvel, telégrafo, computador e internet) promovem uma série de mudanças nas práticas sociais, estruturas de comunicação e na forma de vivermos”, diz. “A internet não apenas aumentou a velocidade da comunicação e a digitalização de processos, como também criou novas estruturas operacionais, econômicas e de comunicação, abrindo novos padrões de interação social e até mesmo novas formas de identidade social”.

Essas tecnologias mais recentes também mudaram a relação que temos com o trabalho – que hoje é permeada pela “ameaça da precariedade”. A segurança, nas empresas, no bem-estar social, na aposentadoria, tornou-se cada vez mais rara à medida que o trabalho se transformou em realização de tarefas. A consequência disso é que o funcionário, em geral, tem medo de perder o emprego e muitas vezes é responsável hoje por tarefas que antes eram distribuídas entre muitos colegas. Ao mesmo tempo, o funcionário freelancer, ansioso por ter um futuro mais certo, frequentemente realiza um trabalho enquanto procura pelos próximos. A insegurança financeira gera uma atividade interminável e ansiosa e, por sua vez, uma aguda sensação de falta de tempo.

Outra razão para desejarmos mais tempo hoje do que antes, é que nossa postura em relação ao mundo mudou. Os seres humanos saíram de uma postura “metafísica”, onde eram espectadores e contemplavam aquilo que tinham à frente, para uma postura ativa, onde são “agentes”, buscando transformar o mundo em que vivem. Para o contemplador, o tempo é uma eternidade. Para o agente, é passageiro. O agente carrega o medo de não ser reconhecido. Então, na verdade, nunca teremos tempo suficiente porque o mundo estará sempre nos chamando para tomar uma attitude e, enquanto formos só agentes, o tempo nunca estará no nosso lado.

E antes de terminar esse artigo, gostaria de deixar uma lista de razões que podem nos ajudar a sentimos tão ocupados:

1 – Não se levantam cedo

O mundo moderno em que vivemos é executado em grande parte em um horário de 09:00 às 17:00h. As pessoas que não se levantam cedo são as que mais se queixam de que não há tempo suficiente no dia para realizar tudo o que elas querem fazer.

2 – Fazem várias tarefas ao mesmo tempo

Você pode pensar que está fazendo mais e economizando tempo com a multitarefa, mas estudos mostram que não somos os multitarefas brilhantes que acreditamos ser. Uma pesquisa realizada na Universidade de Stanford, por exemplo, descobriu que as pessoas que realizam multitarefas são menos produtivas e perdem mais tempo ao alternar entre as tarefas do que se tivessem ficado com uma tarefa até o término.

3 – Não acompanham ou orçam seu tempo

As pessoas que não fazem orçamento e acompanham seu tempo são aquelas que imaginam para onde o tempo se foi e não conseguem entender por que elas realizam tão pouco no final de cada dia de trabalho.

4 – Não são organizados

As pessoas que são desorganizadas não só perdem tempo procurando itens perdidos, mas também diminuem sua produtividade e atrapalham suas chances de sucesso.

5 – Não priorizam

A maioria das pessoas tem um problema de priorização. Eles não classificam tarefas em ordem de importância ou tomam decisões sobre o que é mais importante em suas vidas, o que explica por que elas sempre sentem que não há horas suficientes em um dia.

6 – São facilmente distraídos

Ed Hallowell, ex-professor da Harvard Medical School e autor de Driven to Distraction, observou que muitas pessoas hoje “geraram ADD culturalmente”. O que ele quer dizer é que temos coisas mais atraentes, facilmente acessíveis e brilhantes disponíveis do que nunca. Não surpreende, portanto, que muitas pessoas se distraiam facilmente de seus objetivos centrais e acabem se lamentando por nunca terem tempo suficiente.

7 – Não têm uma rotina diária

As pessoas que não têm uma rotina que acompanham todos os dias, são suscetíveis a distrações e provavelmente perderão prazos e tarefas que precisam ser realizadas.

8 – Estão muito preocupados em serem rápidos

Pessoas que estão preocupadas demais em trabalhar rápido ou que agem precipitadamente, em vez de “suavemente”, acabam não sendo tão produtivas ou tão rápidas quanto poderiam ser.

9 – Buscam a perfeição em tudo o tempo todo

Por mais que uma pessoa perfeccionista tenda a fazer tudo sempre da melhor forma possível e que isso seja uma coisa boa, às vezes, por esperar que tudo saia da melhor maneira, acabamos paralisados. Em vez de perder tempo demais esperando que as coisas saiam perfeitas, tente entender que algumas tarefas precisam ser apenas realizadas, e não realizadas com a perfeição que você exige o tempo todo.

10 – São negativos e têm atitudes ruins

As pessoas que sempre dizem que não têm tempo ou estão ocupadas demais para ler, treinar, viajar etc., não terão tempo para fazer essas coisas. Se você condiciona o seu cérebro a pensar desta forma o seu dia irá caminhar desta forma.

Todo mundo tem exatamente 24 horas por dia. Se outras pessoas conseguem trabalhar e ainda encontrar tempo para a família e os amigos, você também pode!

Obrigada pela leitura e por nos acompanhar! Aproveite pra compartilhar esse conhecimento com outras pessoas!

Grande abraço a todos!